Cuidando das suas finanças: 5 dicas valiosas + DIY caderno de Finanças


C
omo é bom podermos ganhar nosso dinheiro, podermos comprar nossas coisas e realizarmos nossos desejos e sonhos não é mesmo? Mas as vezes (muitas vezes na verdade) o dinheiro acaba virando-se contra a gente causando o maior problemão não é mesmo? Dívidas, dinheiro que sai de uma conta e vai para outra e no fim de cada mês, quando sempre temos a esperança de acabarmos no verde, sempre terminamos no vermelho e ficamos desmotivadas, tristes e achando que o problema está no nosso emprego, na nossa mesada, no quanto ganhamos... na verdade o problema está em nós, está em não administrarmos bem o nosso próprio dinheiro, em não definirmos bem as nossas prioridades e acabamos gastando mais do que deveríamos.

Confesso que sempre gostei muito de gastar, quer fosse com livros, roupas, cursos, maquiagens, etc., mas acontece que uma hora tudo desanda não é? As dividas vão acumulando e quando nos damos conta acabamos nos dando mal. Durante um bom tempo eu estive devendo uma certa quantia e parecia nunca ter fim, eu sempre estava sem dinheiro, sempre estava despreparada para qualquer acontecimento. Então decidi realmente colocar a mão na massa, me conscientizar e enfim me livrar de uma dívida que só estava me causando um atraso. Então decidi compartilhar aqui com vocês. O post ficará um pouco grande mas irá ajudar muita gente que assim como eu passava sérios problemas com minha vida financeira.


1. Gaste menos do que ganha

É clichê né? É algo que todo mundo sabe... e ninguém faz! Sabemos que gastar mais do que ganhar sempre acaba em problema, mas a gente sempre mete os pés pelas mãos e faz uma confusão doida. Mas por quê sempre acontece isso e com todo mundo? Porque nós não possuímos controle sobre o que gastamos. Muitos nem param para pensar nisso. Isso porque não somos organizados, não nos preocupamos com isso. Achamos tudo tão chato, contas e mais contas, anotações... mas é um exercício que não precisa ser chato. Comece anotando aos poucos, se adaptando e aí tudo vai clarear. O importante é sempre lembrar de nunca gastar mais do que se ganha.

2. Segura a onda e só gasta se necessário

Quando nos planejamos e nos organizamos, passamo a entender que nós que decidimos quando e porque vamos gastar. O segredo é pensar um pouco antes de sair gastando a mesada/salário. Para ajudar você, basta colocar no caderninho todas as despesas que já sabe que vai ter para o próximo mês. O importante é registrar tudo o que entra e sai, ou seja, todas as despesas fixas (aquelas que todo mês te esperam) e as variáveis como: cartão, curso ou workshop... coloque também as coisas que gostaria de gastar mas que não são tão importantes, como um colar ou uma roupa.

Olhando a lista a gente já vê que não vai dar certo, que tem mais negativo do que positivo e é aí que a gente tem que selecionar o que é prioridade e o que pode esperar. Você deve estabelecer e assim ir controlando.

3. Separe uma grana para poupança, emergência e seus sonhos

"Ih! Dá não ó Jéssica! Já pague luz, telefone, internet, aluguel, faculdade...." Eu, melhor do que ninguém digo que dá. Devemos entender que o dinheiro além de atender nossas necessidades, ele precisa viabilizar nossos sonhos. Sabe aquele lanche que você come na rua todo dia e custa R$ 5,00? Escolha comprar uma fruta que é mais saudável e economize aí por alto uns R$ 3,00 (seu bolso e corpo agradecem). "Ah, mas só R$ 3,00 não é nada", bom...

R$ 3,00 x 5 (digamos que faça esse lanche de segunda à sexta) dá igual a R$ 15,00 por semana. R$ 15,00 x 4 (numero de semanas no mês) dá R$ 60,00! Com essa pequena economia você pode depositar numa conta, guardar em casa para alguma emergência ou até mesmo dar início a uma caminhada de economia para fazer uma viagem ou comprar algo que deseja muito. Em 1 ano só na economia do lanche você fica com R$ 720,00. "Ah, mas 720 é muito pouco". Acredite: muita gente (inclusive eu) entra ano e sai ano com muito menos que isso guardado. E olha que isso é só a economia do lanche hein? Imagine o restante.

4. Mostre pro seu cartão de crédito que quem manda é você

Cartão de crédito é aquele cara que só entra em jogo pra ganhar. Aprendi na pele que com ele não se brinca. O cartão deve ser usado como uma emergência e não como uma carteira digital. Ele salva muito quando você vai pagar uma conta e o dinheiro que levou foi menos ou em casos de emergência mesmo, doença, comprar remédio...

Quando usamos o cartão para qualquer coisa, nos acostumamos a jogar as dívidas para depois, sempre para depois  aí vamos nos embolando mais e mais. A minha dica pessoal é: deixe ele no esquecimento. Atualmente tenho me controlado mais (porque eu possuía um espirito Becky Bloom, estourava o meu e ainda pegava o dos outros). Sempre que penso em comprar eu fico: "preciso disso agora? Semana que vem terei dinheiro, dá para esperar." E assim tenho caminhado até bem rumo a recuperação e responsabilidade financeira.


5. Gastei demais, o que eu faço?

Se eu fosse contar das minha contas, acredito que vocês chorariam comigo. A primeira coisa que devemos fazer é não se desesperar, desespero só atrapalha. Observa tudo e tenta ver onde errou. Geralmente faço isso, pego e penso: "puts, esse sapato poderia ter sido comprado depois", mas já que já foi, é importante saber reconhecer e pedir ajuda. Cheguei para minha família e falei que estava em maus bocados por causa do cartão de crédito. Meu irmão entrou com uma grande quantia (que inclusive ainda nem paguei), meu pai entrou com o que pôde (embora tenha ficado me cobrando para onde ia meu dinheiro do mês inteiro) e minha mãe pagou minha dívida com meu pai (entenderam a situação?) e agora eu devo a ela. Sim gente, é muito complicado mas passar por isso sozinha é muito pior. Tua família e amigos estarão dispostos a te ajudar mas você precisa reconhecer e não repetir mais o mesmo erro.



E para me ajudar a me organizar financeiramente, eu desenvolvi um caderninho de finanças bem básico que tem realmente me ajudado e decidi compartilhar com vocês aqui. Para assistirem, é só clicar aqui embaixo




Desenvolvi mais 2 modelos de caderninhos para vocês escolherem o que mais agradar e assim vocês ficarão ainda mais motivadas a pouparem e organizarem suas economias =)


Baixar Floral
Baixar preto com dourado
Baixar preto com rosa






Espero que tenham curtido tanto o post quanto o vídeo e também os arquivos. Sim, esse post ficou enorme mas sei que vai ser bem útil. Deixem dicas ou sugestões aqui nos comentários se vocês gostam desse tipo de post e tal =)

Quarto floral: inspiração quarto novo


A
ntes de mais nada gostaria de agradecer a cada uma de vocês que deixaram tantos comentários lindos no post anterior (como superei o bullying e passei a me amar mais). Li cada um e me emocionei com todos, fiquei realmente muito grata e por isso eu o deixei ficar um pouco mais "no ar" porque queria que ele chegasse realmente a quem estava precisando dele, mas o blog não pode ficar desatualizado não é mesmo? Como mencionei nesse post, meu quarto vai mudar. Já comecei a pesquisar algumas coisas, escrever ideias e desenvolver um orçamento cabível e que fique como imaginei. Como vocês pediram muito, vou sim ficar postando por aqui e também lá no meu canal no youtube, algumas dicas e mostrar todo o processo, inclusive os itens e DIY <3

Mas antes de qualquer mudança eu decidi traçar o estilo que eu quero dar ao meu quarto e vira e mexe sempre me vem na cabeça alguma coisa com flores Sentei no computador e comecei a buscar inspirações de quartos florais e decidi compartilhar com vocês, afinal de contas toda mudança começa com a base, com uma ideia, uma inspiração não é mesmo? Escolhi trabalhar com detalhes florais e cores alegres porque é assim que quero me sentir ao entrar no meu quarto e quero que as pessoas que entrem também sintam-se assim. 






E esses arranjos lindos?! <3




Sempre curti muito esse tipo de decoração e agora vou poder colocar em prática *-*
Quem aí tem alguma dica? Deixem nos comentários que eu vou adorar receber as dicas de vocês. 

beijo enorme e obrigada a todos pelo carinho <3

Como venci o bullying e passei a me amar mais


F
alar desse assunto sempre é um tanto quanto complicado, principalmente para quem vive/viveu com isso. Cresci ouvindo as pessoas dizendo que isso era besteira, bobagem, coisa de criança... crescemos sabendo de duas coisas: ou vamos ser a vítima ou o culpado. Lembro da minha época de escola em que eu raramente possuía amigos porque ninguém queria ser amiga da "magrela" ou da "vesga", eram insultos que cresci ouvindo de colegas, às vezes alguns adultos... alguns pensam que você usar uma característica da pessoa e usá-la para deixá-la para baixo é normal, é natural, não, não é! Algumas pessoas nunca saberão como é se sentir assim, mas você sabe e pode mudar as coisas.

Cresci complexada com meu corpo, com meus olhos... (embora nunca tenha comentado, até porque é algo normal né a gente ouvir chacota dos outros e aceitar?), cresci sem querer usar vestidos ou blusas com alça, sempre vestida "como um menino" e tinha que ouvir da vizinhança: "essa menina é estranha, se ao menos se arrumasse ficava mais jeitosinha, desse jeito nenhum menino vai te querer". Acontece que não era um menino que tinha que me querer, era eu mesma.

Passei praticamente a minha infância e adolescência preocupada com meu corpo (porque todas tinha corpão e eu não); preocupada com o namorado que nunca arranjaria, preocupada com meus olhos que nunca seriam normais como as das outras pessoas.. Deus, por que eu nasci assim? Me perguntava sempre. Mas aí eu comecei a me despreocupar e deixa pra lá, eram mudanças que eu não poderia ter, eram caracteristicas que iriam permanecer comigo e eu precisava aceitar.

A partir do momento em que mudei o meu modo de pensar sobre mim, nada mais me afetou! Quando não nos amamos, aceitamos tudo de ruim que falam de nós sem questionar. Quando falavam de mim, eu chorava escondido, queria sumir.. me calava; mas quando falavam de algum dos meus ídolos eu os defendia com unhas e dentes. Se eu defendo meus ídolos assim, por que não me defendo dessa maneira a respeito de mim? Passei a pensar, a agir diferente. Sabia o que podia mudar e mudei, parei de me esconder, parei de me odiar por causa de opinião dos outros.

Desde que passei a me olhar com outros olhos percebi o quão maravilhosa sou. Passei a enxergar as minha qualidades, a conviver com meus defeitos e ser feliz assim. Eu sou a minha melhor amiga e companhia. Parece solitário? Parece né? mas pense que no fim das contas, é você e você, é preciso aceitar-se. Hoje me olho no espelho e me acho radiante, se estou "feia", me maquio ou simplesmente aceito e aceito bem. Quando a gente para de exaltar os defeitos e passa a ver as qualidades, tudo muda. Falem o que falem, falem da roupa, do cabelo, do corpo, do nariz, dos olhos... se você se ama, nada disso importa sabe por quê? Porque no fim das contas você é maravilhosa. Não devemos aceitar que nos ditem o que devemos ou não fazer, o peso que devemos ter e o que devemos ou não fazer com nós mesmas. 

Se eu posso dizer uma única coisa é: ame-se. As pessoas vão te amar sempre pelo que você é e não por como é. Valorize a pessoa mais importante: você.